NOTÍCIAS
11/06/2014 13:18 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:43 -02

Na véspera da Copa, Polícia Civil investiga ativistas que organizam protestos no Rio de Janeiro

Mídia Ninja

Ativistas envolvidos em protestos no Rio de Janeiro estão na mira da Polícia Civil nesta quarta-feira (11).

A um dia do início da Copa do Mundo, agentes da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática cumprem mandados de busca e apreensão na casa de nomes conhecidos das manifestações.

Segundo o coletivo Mídia Independente Coletiva (MIC), a ativista Elisa Quadros, conhecida como Sininho, foi uma das levadas para a delegacia.

No início do ano, Sininho foi apontada como black bloc, mas o pai dela negou que a filha participasse de protestos violentos.

A ação dos agentes seria "preventiva", uma vez que organizações planejam atos no dia do jogo de abertura – em diversas cidades brasileiras. Mas a Polícia Civil não confirmou ainda o motivo da operação.

O coletivo Mídia Ninja condenou a operação dos policiais civis e classificou de 'Estádio de Exceção'. "O Estado se antecipa e prende por 'futuros crimes' numa tentativa de intimidar os manifestantes", informou a rede de comunicadores em seu site.

Os representantes do coletivo criticam a falta de diálogo sobre o Mundial com a sociedade. "A Mídia Ninja repudia qualquer forma de veto a liberdade de expressão e ao direito constitucional de manifestação."

(Com Estadão Conteúdo)

LEIA TAMBÉM:

- Há motivo para protestar contra a Copa do Mundo?

- Anistia Internacional entra no clima da Copa e pede fim da violência nos protestos

Eleições nos EUA
As últimas pesquisas, notícias e análises sobre a disputa presidencial em 2020, pela equipe do HuffPost