NOTÍCIAS
04/11/2014 22:06 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:43 -02

Aprender palavras novas ativa mesmas áreas do cérebro que sexo e drogas

Reprodução

Todo aficionado por literatura sabe que um bom livro pode ser tão excitante quanto uma noite de sexo.

Agora, a ciência comprovou a tese. De acordo com uma pesquisa publicada na revista Current Biology, aprender novas palavras ativa a mesma região de recompensa associada a atividades prazerosas.

Como funcionou o estudo?

Cientistas da Espanha e da Alemanha analisaram a atividade cerebral de 36 adultos. Os cientistas concluíram que, ao aprender novas palavras, os participantes demonstravam um aumento na atividade do corpo estriado, região associada à sensação de recompensa e motivação. O corpo estriado é ativado quando comemos comidas gostosas, fazemos sexo e usamos drogas.

Os cientistas também verificaram que os participantes com maior quantidade de conexões entre as regiões do cérebro dedicadas à linguagem e àquelas relacionadas à sensação de prazer tinham mais facilidade para aprender palavras novas.

Vantagem evolutiva

As conclusões ajudam a explicar o que motiva o ser humano a desenvolver a capacidade da linguagem. O estudo sugere que indivíduos que sentiam mais prazer ao aprender a língua tendiam a se comunicar melhor, o que, ao longo dos milênios, significou a garantia de sobrevivência em um mundo selvagem.

Leia mais: Dicas para gostar de ler

Eleições nos EUA
As últimas pesquisas, notícias e análises sobre a disputa presidencial em 2020, pela equipe do HuffPost