Com fila de espera, empresa nos EUA cobra até R$ 150 para as pessoas dormirem 'de conchinha'

Você pagaria para dormir de conchinha? Tem gente que está pagando o equivalente a 150 reais para ficar agarradinho com alguém. Uma empresa de Portland, nos Estados Unidos, vem oferecendo o serviço desde o ano passado. A ideia deu tão certo e o negócio, que começou em casa, agora já tem sede própria, com quartos temáticos.

Samantha Hess é a responsável pela Cuddle Up To Me (cuide de mim, em tradução livre). A proposta de oferecer um abraço surgiu após uma crise pessoal, na qual pensou em pagar para alguém abraçá-la. ”Comecei a namorar um rapaz quando tinha quinze e durante os treze anos em que ficamos juntos sentia que era rejeitada. Ele não gostava de toque, ao contrário de mim. Depois que nos divorciamos, comecei a preencher essa necessidade.”

Em entrevista à a Fox 10, Samantha afirmou que recebe 10 000 e-mails por semana de interessados no serviço, que, diz ela, não têm conotação sexual. “Os clientes pagam para serem abraçados e acariciados. Só isso.” Com a demanda, ela precisou contratar outras três profissionais para ajudá-la.

Para garantir a segurança dos usuários, as sessões são gravadas. O valor cobrado por uma hora é de 60 dólares, aproximadamente 150 reais. “Algumas pessoas não querem ser tocadas. Então só sentamos e lemos juntos”, contou.