NOTÍCIAS
03/12/2015 09:44 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:38 -02

Polícia identifica casal como autor do tiroteio na Califórnia; Obama pede controle na venda de armas

Reuters

A polícia de San Bernardino, na Califórnia, Estados Unidos, identificou um homem e uma mulher suspeitos de serem os autores de um ataque a um centro de assistência para pessoas com necessidades especiais que deixou 14 mortos e 17 feridos nesta quarta-feira (2).

Segundo as autoridades de segurança, os agressores, que foram mortos em um tiroteio com a polícia, formavam um casal.

Em entrevista coletiva nesta quinta-feira (3), o chefe de polícia de San Bernardino, Jarrod Burguan, identificou os suspeitos como Syed Farook, um homem de 28 anos e de nacionalidade americana, e Tashfeen Malik, uma mulher de 27 anos e de nacionalidade desconhecida.

Segundo o policial, Farook trabalhava como especialista em meio ambiente há cinco anos no Inland Regional Center, onde ocorreu o massacre.

O atirador chegou a comparecer em uma confraternização de final de ano que acontecia no local nesta quarta, mas teria deixado o prédio "enfurecido" e retornado momentos depois armado e junto com sua parceira para iniciar o ataque. O casal portava rifles de assalto e pistolas e os agentes encontraram três artefatos explosivos no local.

O chefe de polícia explicou que, após o ataque, as investigações levaram os agentes a uma casa na cidade de Redlands, vizinha a San Bernardino, onde eles avistaram um veículo suspeito. Logo em seguida, houve uma perseguição que terminou com a morte do casal e com um policial ferido. Cerca de 20 oficiais participaram da perseguição.

Em um primeiro momento, a polícia cogitou a participação de um terceiro atirador e chegou a deter uma pessoa que estava no local onde houve troca de tiros entre agentes de segurança e os suspeitos. No entanto, as investigações se concentram agora na hipótese de que Farook e Malik foram os únicos responsáveis pelo massacre.

As autoridades indicaram que os motivos do crime ainda são desconhecidos, mas asseguraram que o incidente foi planejado e não se tratou de uma ação espontânea. Além disso, os investigadores não descartam que o ataque foi um ato terrorista.

Neste ano, os Estados Unidos registraram mais de 350 tiroteios que deixaram quatro mortos ou mais. O ataque desta quarta-feira, porém, se difere dos outros por ter envolvido mais de um atirador.

O presidente americano, Barack Obama, lamentou o massacre e disse que epidemia de violência por armas de fogo no país "não tem paralelo no resto do mundo". Ele voltou a pedir que o Congresso aprove leis mais rígidas para venda e porte de armas.

San Bernardino é uma cidade de pouco mais de 200.000 habitantes localizada a quase 100 quilômetros de Los Angeles.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS:

Eleições nos EUA
As últimas pesquisas, notícias e análises sobre a disputa presidencial em 2020, pela equipe do HuffPost