Opinião

Os destaques do 2º dia de SPFW Inverno 2015

Eu gosto de coleções onde a tradução da inspiração para as roupas não é nem um pouco literal. Observar como o estilista trabalha suas referências na construção das roupas é o que eu mais admiro em um desfile.

Reinaldo Lourenço

Créditos: nowfashion/Reprodução

Eu gosto de coleções onde a tradução da inspiração para as roupas não é nem um pouco literal. Observar como o estilista trabalha suas referências na construção das roupas é o que eu mais admiro em um desfile. Para seu inverno 2015, Reinaldo Lourenço teve como ponto de partida a arte e arquitetura renascentista, mas apostou em formas retas e estruradas, típicas da moda dos anos 60. Estampas gráficas dominam algumas peças e franjas adornam vestidos mais festivos, criando um harmonioso contraponto de silhuetas.

Lolitta

Lolita Zurita Hannud trouxe o Egito Antigo para as passarelas paulistanas. A inspiração surgiu depois de uma visita ao MET, em Nova York, com seu vasto acervo de objetos da época. As estampas geométricas são as primeiras coisas que saltam aos olhos, mais até do que a construção das roupas. A marca segue fiel a sua silhueta justa, mas brinca com transparências para criar um jogo de ilusão para quem assiste ao desfile. O tricot, marca registrada da Lolitta, não ficou de fora e ganhou uma bossa com brilhos e argolas aplicadas. O destaque fica mesmo para os primeiros vestidos, que unem estampas interessantes com decotes profundos e uma ousadia a mais na silhueta de sempre.

Pedro Lourenço

Créditos: nowfashion/Reprodução

Com uma imagem forte e única, Pedro Lourenço consegue colocar em suas coleções peças desejáveis e usáveis, que conversam com mulheres do mundo todo. E nesta temporada não foi diferente. Abusando da alfaiataria e dos recortes geométricos, o estilista apresenta peças cheias de detalhes e com uma construção perfeita, evidenciando os tecidos high tech que sempre usa. A coleção é sexy e urbana, cheia de estampas minimalistas e muito brilho. Destaque para as calças amplas, que criam uma silhueta interessante e atual.

Giuliana Romano

Créditos: nowfashion/Reprodução

Em sua segunda apresentação no SPFW, Giuliana Romano coloca na passarela uma sensualidade nada óbvia, com seus já característicos recortes e alfaiataria bem feita. O preto e o branco ditaram o tom da coleção, mas alguns pontos de luz - vermelho, rosa e discretas estampas - foram muito bem-vindos. A silhueta, mais ampla e fluida, quebra o clichê da sensualidade e atualiza a coleção. Os acessórios, como chapéus e botas, levam consigo recortes interessantes e um certo mistério para quem o veste, tendo um destaque merecido para o inverno da marca.

Colcci

Créditos: nowfashion/Reprodução

A Colcci foi até as grandes capitais da moda buscar inspiração para sua nova coleção. O streetwear dominou mesmo a passarela da marca e trouxe peças cheias de estilo, pronta para irem das passarelas para as ruas. Ótimos casacos, com um interessante mix de texturas; calças amplas e croppeds; um styling que pode ser facilmente copiado. A modelagem não é nada que já não tínhamos visto antes nas passarelas internacionais, mas a escolha das cores e texturas merecem atenção redobrada.

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.

Para saber mais rápido ainda, clique aqui.

TAMBÉM NO BRASIL POST:

Nova moda é decorar a barba com flores