NOTÍCIAS
03/03/2020 17:03 -03 | Atualizado 10/03/2020 15:30 -03

Olavo de Carvalho provoca Regina Duarte a desistir da Secretaria da Cultura

Guru bolsonarista disse que presidente o consultou antes de chamar atriz para o governo.

SERGIO LIMA via Getty Images
A secretaria está sem chefe há mais de um mês. O governo marcou para esta quarta-feira (4), a posse da nova secretária.

O guru do bolsonarismo Olavo de Carvalho criticou a atriz Regina Duarte, nomeada pelo presidente Jair Bolsonaro para o comando da Secretaria de Cultura. O incômodo do escritor teria sido despertado pela equipe escolhida pela nova integrante da Esplanada dos Ministérios.

Em uma publicação no Facebook nesta segunda-feira (2), Olavo sugere que ela não assuma o cargo, se não quiser estar vinculada a seu nome. “Ao cogitar o seu nome para o posto, a primeira opinião que o sr. presidente da República quis ouvir a respeito foi a minha. Ela decerto não me deve gratidão nenhuma por isso, mas me deve ― e estou cobrando em público ― uma confirmação ou desmentido desse zunzum”, escreveu.

De acordo com nota publicada pela coluna Radar, do site da Veja, nesta segunda, a atriz adotou critérios técnicos para escolher secretários, assessores e diretores de órgãos ligados à pasta e deixou de fora pupilos do escritor.

Olavo também postou uma publicação feita pela youtuber Sara Winter em que ela desmente que Regina esteja excluindo olavistas.

A secretaria está sem chefe há mais de um mês. O governo marcou para esta quarta-feira (4), a posse da nova secretária. Ela foi convidada para o cargo após a demissão de Roberto Alvim, que deixou o posto após divulgar um vídeo com trechos inspirados em um discurso nazista.

Na semana passada, a reverenda Jane, cotada anteriormente para ser secretária-adjunta de Regina, insinuou, nas redes sociais, que a atriz estaria levando “a esquerda” para o órgão. Janicia Silva é pastora evangélica e atou no governo como secretária da Diversidade Cultural. Nas redes sociais, ficou conhecida pelo apoio ao presidente Jair Bolsonaro e ao ex-secretário Roberto Alvim.

Nos últimos dias, Regina Duarte tem endossado manifestação anti-democrática marcada para março. O presidente Jair Bolsonaro também compartilhou conteúdo nesse sentido, mas depois voltou atrás. Ele enviou por WhatsApp vídeos convocando para uma manifestação contra o Congresso. Nas imagens, não há críticas diretas ao Congresso, ou menção a fechá-lo. Mas um dos vídeos fala em “rejeitar os inimigos do Brasil”. 

A agora futura secretária da Cultura é conhecida por seu posicionamento político contra a esquerda desde as eleições de 2002, quando disse em um vídeo de campanha ter “medo” de uma eventual vitória de Lula (PT).

Eleições nos EUA
As últimas pesquisas, notícias e análises sobre a disputa presidencial em 2020, pela equipe do HuffPost