ENTRETENIMENTO
23/10/2020 18:31 -03 | Atualizado 23/10/2020 18:39 -03

Preta Rara: 'Por que há poucos influenciadores pretos no Brasil com mais de 1 milhão de seguidores?'

Em entrevista ao HuffPost, rapper e historiadora falou sobre movimento antirracista após a morte de George Floyd.

Para a rapper e historiadora Preta Rara, o movimento de ocupação de contas nas redes sociais de personalidades brancas por influenciadores negros, semanas depois do assassinato de George Floyd, tinha intenção antirracista mas acabou trazendo à tona novas facetas do racismo no Brasil.

“Comecei a perceber que não acontecia nada com o perfil das pessoas pretas que ocupavam o perfil com milhões de seguidores”, ela contou em entrevista ao HuffPost via live. “E a pessoa branca que estava cedendo o perfil para a pessoa preta crescia em quantidade de seguidores e era procurada pelas marcas para fechar publicidade sobre diversidade”, constatou.

A ativista do movimento negro contou que recebeu quatro convites de figuras do “mainstream” para que ela ocupasse suas redes e produzisse conteúdos de alerta e combate ao racismo. Depois de informar seu orçamento, ela não recebeu retorno dos artistas.

“As pessoas têm que entender que o nosso trabalho na internet é trabalho. E isso tem um valor. Se a galera branca, que tem grana e milhões de seguidores, não quer pagar, beleza, eu continuo criando conteúdo para quem me acompanha.”

Segundo a rapper, “as pessoas não querem ver a imagem do influenciador preto, querem a imagem da pessoa com milhões de seguidores”, não importa o que ela esteja fazendo, um ciclo que acaba inviabilizando a projeção de produtores de conteúdo negros.

“A Gabi de Pretas, que pesquisa muito e tem um trabalho incrível, não tem um milhão de seguidores. A Nátaly Neri, o Matheus Pasquarelli, a MC Soffia. Nenhum deles tem. Por quê?”

Assista à entrevista completa no player abaixo:

Também autora do livro Eu, Empregada Doméstica: A Senzala Moderna é o Quartinho da Empregada”, Preta Rara é uma das ativistas presentes no vídeo-manifesto #VidasNegras, publicado nas redes sociais do HuffPost Brasil em setembro passado. O material, que integra a campanha da plataforma de petições online Change.org, denuncia o racismo e cobra ações da sociedade brasileira na luta pela justiça social.

Assista no player abaixo: